Peso, exercício e homens indesejados – Diário da maturidade 01- por Mônica Nóbrega
janeiro 19, 2013  /  By:   /  Uncategorized  /  6 Comments

 

A adolescência foi praticamente dentro de uma academia, esperando o final do ano para encarar o palco do Teatro Nacional, fazer cursos de ballet clássico fora, uma luta danada contra contusões, dores, falta de técnica. Luta maior ainda para conciliar os namorados com a paixão pela dança. Eles cobravam exclusividade. E sempre perdiam para os pliés, jetés, tendus…. Bobos, poderiam ter tido mais paciência. Eu, seguramente, não seria uma grande bailarina, mas naquele momento, não pensava nisso. O negócio era dançar. Tentar.

Ainda ontem a euforia dos 20 anos me consumia em sonhos, resoluções definitivas, energia que não tinha fim. Trabalho, amigos, festas, shows, o tempo corria a meu favor. Mas durou bem pouco, hoje vejo. Quando olhei pela janela, os 20 tinham ficado para trás.

Num piscar de olhos, os 30 chegaram e, com eles, relação sólida (?), filho, novos compromissos, preocupações com o futuro (ele já havia chegado), novos investimentos, novas descobertas, dentre elas a maturidade. Descobrir a maturidade requer um sutil olhar para o cotidiano. A pressa é menor, a exigência pode esperar mais um pouco.

A “crise dos 40” me pegou ainda sob efeito de muita produção, como se me visse ainda em construção, ainda em erupção, num ritmo característico dos produtores de ideias. Nesse momento da caminhada, comecei a perceber que, se não parasse no caminho, iria ter que conviver com o avançar da idade e, assim, conviver com todo o “pacote” que isso traria.

Cheguei aos 50, começando o 3o. ato da vida e não vou parar esperando o tempo voar como tem voado, me espremer com tem feito, me gritar acomodação, como vejo por aí. Vou fazer as pazes comigo. Abrir e vasculhar gavetas emperradas, tirar de dentro de mim o que não quero mais guardar e promover, aqui fora, as mudanças urgentes para a pessoa que me reconheço.

Só pra você acompanhar, se estimular (se quiser), vou relatar aqui a busca por algumas metas claras e definidas. Vou contar as tentativas, os deslizes e como alcancei as vitórias (se as tiver).

  1. diminuir o peso com persitência e encarando a auto sabotagem;
  2. retomar o exercício físico por uma questão de saúde e estética. Não quero ficar velha entrevada;
  3. Mudar a alimentação, descobrindo receitas fáceis, leves e bonitas. Vou dividi-las com você;
  4. Definitivamente, encarar que não quero me relacionar com homens assustados com a vida, medrosos diante dos desafios e apegados a um passado cheio de erros.

Se você quiser, vamos juntos nessa experiência. Aqui, toda segunda feira, vou publicar no DIÁRIO sobre a busca por pequenas vitórias.

Sobre o autor :

Comunicadora, redatora, radialista, palestrante motivacional.

Outros posts

Comentários no Facebook

Escreva um comentário