Inferno no Gama 2014 – Contos Fantásticos #01
março 2, 2015  /  By:   /  Uncategorized  /  Sem comentários

contos fantasticos 1 inferno no gamaInferno no Gama 2014 – Contos Fantásticos #01

Esta é a história do encontro entre Hermes e  “o gerente”. Hermes recebeu a proposta de um pacto muito tentador. Será que ele deve aceitar algo tão bom e fácil assim? O maior medo de Hermes até aquela noite era de ficar gripado, mas ele descobrirá agora que uma gripe pode até fazer bem para quem está perdido em um posto de gasolina.

O Uno de Hermes quebrou na BR próximo ao Gama. Havia um posto logo à frente, mas chovia muito naquela noite. Hermes se cobriu de coragem para enfrentar seu medo da gripe, se cobriu com um saco plástico para enfrentar a chuva e decidiu empurrar o carro até o posto.

Enquanto empurrava o carro pelo lado de fora, sua mão direita ia guiando o volante e seu cérebro ia ficando com raiva do carro, que acabara de sair do conserto, e ia ficando com raiva da chuva, que atrairia o vírus da gripe.

150 metros depois Hermes chegou ao posto e logo foi auxiliado por vários frentistas que tentavam decifrar o defeito do carro. O gerente do posto se aproximou, olhou o painel do carro e, quando deu umas batidinhas no canto esquerdo, o ponteiro do marcador de combustível despencou.

– É só a gasolina que acabou – disse o gerente contente.

Hermes achou estranho, mas ficou feliz. O gerente abasteceu o carro, Hermes deu a partida e o carro estava a todo vapor. Hermes estava muito satisfeito e foi pagar. Foi então que o gerente fez uma proposta que mudaria a vida de Hermes.

-Você quer gasolina grátis pelo resto da sua vida? Para que nunca mais você corra este risco de ficar gripado? – propôs o gerente entusiasmado.

Hermes sorriu achando que era brincadeira e já ia embora quando algo terrível aconteceu: Hermes espirrou! Estava gripado. O gerente então fez outra proposta. Ofereceu roupas secas e um café com leite para Hermes. O gerente também alegou que assim poderiam conversar mais calmamente sobre a gasolina grátis que queria oferecer.

Hermes, que agora estava gripado, não teve forças para resistir à felicidade de ganhar gasolina grátis pelo resto da vida e achou melhor se secar e escutar melhor o gerente. Se estivesse saudável teria ido embora, mas estava com medo da gripe piorar e aceitou as roupas secas.

Foi ao banheiro se trocar. Eram roupas de frentista. Hermes molhou a cabeça com água quente no chuveiro, se secou com papel higiênico e foi tomar o café com leite.

Quando sentou à mesa com o gerente, este lhe elogiou e disse que Hermes daria um ótimo frentista, mesmo gripado. Hermes desconversou e disse que não queria ser frentista. Hermes começou a explicar que não entendia como a gasolina havia acabado, pois havia abastecido no dia anterior em um posto no Gama e o ponteiro do carro nunca tinha dado defeito. Cogitaram a hipótese de que, ao abastecer no dia anterior, o frentista do outro posto teria enganado Hermes cobrando o valor sem efetivamente colocar a gasolina em seu Uno.

-Mais um motivo para você aceitar minha proposta. Além da gente te dar gasolina grátis, aqui nunca enganamos ninguém! – Finalizou o gerente apressado.

Estava parando de chover, e Hermes tinha que decidir rápido. Lá fora caiam apenas as últimas gotas da tempestade enfraquecida. O café com leite de Hermes também já estava acabando e já se podia ver o fundo da xícara permeando o líquido ralo.

O gerente olhou para Hermes por uma última vez e saiu. A chuva acabou e Hermes também saiu sem ter respondido à proposta.

O gerente já estava atendendo outra cliente lá fora e nem olhou enquanto Hermes ligava seu carro e ia embora. Hermes seguiu dirigindo e pensando se o gerente estava falando a verdade ou se queria enganá-lo. E por que havia lhe dado aquela roupa de frentista? De repente, algo terrível aconteceu: a gasolina de Hermes acabou de novo. Desta vez, não havia nem um posto por perto e o frentista era ele próprio.

Contos Fantásticos – Histórias de terror e contos da cripta além da imaginação humana em lendas urbanas de uma dimensão paralela. Cada história se passa em um ponto das cidades de um Distrito Federal em uma realidade alternativa, onde um aterrorizado ou sortudo personagem poderá refletir sobre a verdadeira realidade da capital Brasília e da humanidade numa coletânea de contos variados passando por histórias de superação, lições de vida e situações engraçadas (ou assustadoras!) em um conto novo toda semana com uma história inédita cheia de fantasia, realismo, mistério, terror, horror, imaginação, comédia e sobrenatural. Por Jacques Sanfilippo

 

Sobre o autor :

Comunicadora, redatora, radialista, palestrante motivacional.

Outros posts

Comentários no Facebook

Escreva um comentário